CRUZEIRO DO SUL CONFIRMA PRIMEIRO CASO DE CHIKUNGUNYA, DIZ SAÚDE: - Alerta Acre

Alerta Acre

O seu Portal de Notícias

Ultimas

quinta-feira, 24 de março de 2016

CRUZEIRO DO SUL CONFIRMA PRIMEIRO CASO DE CHIKUNGUNYA, DIZ SAÚDE:

Outros quatro casos suspeitos aguardam resultado de exames. Paciente é de bairro com infestação do Aedes aegypti considerada alta.

Via G1 AC
Por Iryá Rodrigues
💢Quinta-feira, 24/03/2016

Uma mulher de 43 anos, em Cruzeiro do Sul, recebeu resultado positivo para o exame que diagnostica a febre Chikungunya. Esse é o primeiro caso confirmado da doença na cidade. A informação foi confirmada pela secretária de saúde do município, Lucila Bruneta.

Outros quatro pacientes aguardam resultado de exames para confirmar a doença no município do interior do Acre. Todo material coletado dos casos suspeitos foi enviado para o Instituto Evandro Chagas, em Belém.

A secretária de Saúde afirma que a mulher que teve a doença confirmada não saiu de Cruzeiro do Sul e que o caso foi notificado à Saúde no mês de janeiro.

"É um caso de Cruzeiro do Sul mesmo, a pessoa não viajou. Então isso significa dizer que já tem contaminação na cidade, ou seja, já temos Chikungunya aqui. A paciente já está bem, não foi um caso muito sério, não teve grandes transtornos. Foi um tratamento simples, apenas com hidratação e observação", afirma.

A mulher com diagnóstico positivo para Chikungunya mora no bairro Morro da Glória, onde apresentou infestação do Aedes aegypti considerada alta, o que configura alto risco de transmissão das doenças provocadas pelo mosquito.

Lucila afirma que ainda não recebeu o relatório com a notificação que confirma a doença, mas diz que já recebeu a informação por telefone. "Estamos aguardando o documento, mas já está confirmado", diz.

👉🏽Como as pessoas pegam o vírus?🔻

Por ser transmitido pelo mesmo vetor da dengue, o mosquito Aedes aegypti, e também pelo mosquito Aedes albopictus, a infecção pelo chikungunya segue os mesmos padrões sazonais da dengue.

👉🏽Quais são os sintomas?🔻

Entre quatro e oito dias após a picada do mosquito infectado, o paciente apresenta febre repentina acompanhada de dores nas articulações.

Outros sintomas, como dor de cabeça, dor muscular, náusea e manchas avermelhadas na pele, fazem com que o quadro seja parecido com o da dengue. A principal diferença são as intensas dores articulares.

Em média, os sintomas duram entre 10 e 15 dias, desaparecendo em seguida. Em alguns casos, porém, as dores articulares podem permanecer por meses e até anos. De acordo com a OMS, complicações graves são incomuns.
Em casos mais raros, há relatos de complicações cardíacas e neurológicas, principalmente em pacientes idosos. Com frequência, os sintomas são tão brandos que a infecção não chega a ser identificada, ou é erroneamente diagnosticada como dengue.

👉🏽Como se prevenir?🔻

Sobre a prevenção, valem as mesmas regras aplicadas à dengue: ela é feita por meio do controle dos mosquitos que transmitem o vírus.
Portanto, evitar água parada, que os insetos usam para se reproduzir, é a principal medida. Em casos específicos de surtos, o uso de inseticidas e telas protetoras nas janelas das casas também pode ser aconselhado.

Divulgado por: James Alves
Informou: ♨Juruá NEWS♨

Post Bottom Ad