01/12/2016

Eletrobras-AC registra mais de 900 'gatos' de energia em novembro

Por | - 18:33

Segundo órgão, 85% dos casos foram registrados em Rio Branco. Ao todo, Eletrobras-AC atendeu 2,4 mil ocorrências somente este mês.

*01/12/2016*

*Por Quésia Melo*
*Do G1 AC*

Fiscalização registrou mais de 900 ocorrências
de furtos de energia em Rio Branco
(Foto: Divulgação/Eletrobras-AC)

A Eletrobras Acre atendeu 2,4 mil ocorrências em todo o estado somente em novembro deste ano. O gerente de fiscalização André Sabino explica que 912 desses atendimentos eram de furto de energia, conhecido popularmente como "gato". De acordo com ele, 85% dos casos foram registrados em Rio Branco.

A maior parte dos "gatos", segundo ele, é feito por proprietários de restaurantes ou comércios, pois o consumo de energia representa ao menos 40% dos gastos fixos desses locais.

"Quando a pessoa não deixa a equipe entrar no local, provavelmente é porque existe irregularidades. Infelizmente a maior parte das pessoas que fazem isso possuem condições de pagar a conta de energia, os comerciantes fazem isso para reduzir custos. O índice do furto de energia em residências é bem menor que em locais comerciais", destaca.

Agressão
Sabino destaca que as equipes de fiscalização são muitas vezes agredidas pelos moradores que impedem a entrada dos trabalhadores. Na última terça-feira (29), duas pessoas foram presas por insultar e tentar agredir os funcionários com uma faca. As prisões ocorreram no Loteamento Santo Afonso e Ouricuri.

"Enfrentamos esse tipo de situação diariamente, encontramos várias dificuldades em campo. Todos os dias, quando chegamos aos locais onde existe irregularidade, o consumidor fica exaltado e alega que não vai permitir a fiscalização. Nesses casos é preciso chamar a polícia e depois a perícia técnica para fazer os laudos necessários",

Alerta
O gerente faz um alerta para os riscos das ligações clandestinas e explica que a explosão de transformadores, por exemplo, pode ser causada por sobrecargas relacionadas aos "gatos" de energia. O aparelho, segundo o gerente, possui capacidade para atender uma demanda específica nas redes dos bairros.

"Os riscos são muitos e começam desde o consumidor que retira a proteção para fazer uma ligação direta. Isso acarreta um consumo elevado para toda a vizinhança. Por estar furtando, ele acaba consumindo uma energia maior da qual não temos controle. Muitas vezes, chega a cair até mesmo o sistema inteiro do bairro pelo aumento de carga. Pedimos que as pessoas tenham consciência de que prejudicam a si mesmas e toda a população", finaliza.

Fonte:G1ac

COLUNISTAS