04/02/2017

Piadas, selfies e escudo para telemarketing: como é ser xará de Neymar?

Por | - 08:49

Rafael Reis

''Sempre que eu falo meu nome, as pessoas dão risada ou perguntam se eu estou de brincadeira''.
Desde 2009, o comerciante paulista Neimar Osório, 44, e os outros xarás da principal estrela do futebol brasileiro na atualidade não passam mais desapercebidos.

Afinal, eles carregam um nome incomum, bastante raro no Brasil, mas que ganhou os holofotes e não sai mais da mídia desde que Neymar se tornou profissional no Santos e começou a construir sua trajetória de sucesso.

E esse ''boom'' de popularidade evidentemente mudou a vida de todos deles.

“Antes, ninguém entendia meu nome. Ficavam me chamando Edmar ou Nilmar. Agora, até vibram quando digo meu nome. Para mim, isso é ótimo, principalmente na primeira vez que você conhece alguém. Meu nome acaba quebrando o gelo e serve para puxar assunto”, conta o empresário Neimar Escobar, 32, de Ribeirão Preto (SP).

E o xará do camisa 11 não esconde que usa a fama do nome que possui para se dar bem…

“Nossa, é ótimo com telemarketing. Muitas vezes ligam para mim, perguntam meu nome e aí, como acham que estou fazendo graça, desligam na minha cara. Mas meu nome também me ajudou a arrumar emprego. Fica mais fácil, já que ninguém se esquece de você”, reflete.

Já o vendedor gaúcho Neimar Rodrigues, 40, acabou se tornado uma espécie de celebridade na empresa onde trabalhava, em São Gabriel, devido à “proximidade” com o astro da seleção.


“Na época da Copa do Mundo, era algo absurdo. Todo mundo que passava por mim fazia alguma piada. Teve gente que até fez questão de tirar foto comigo e com meu crachá para postar nas redes sociais”, relembra.

Ao contrário do xará famoso, os três Neimares localizados pela reportagem têm seus nomes escritos com I, não com Y. E também não herdaram o nome do pai, o que aconteceu com o astro Neymar Jr.

“Minha mãe escolheu esse nome porque havia um escritor chamado Neimar de Barros”, afirma Osório.
“Meu pai não sabe explicar porque me deu esse nome. Era para eu me chamar Leandro, mas na hora de registrar ele decidiu mudar. Meu pai bebia na época, então vai saber…”, diz Escobar.


“Enquanto servia ao exército, meu pai passou muito mal e teve febre alta. Quem cuidou dele até que a emergência chegasse para levá-lo ao hospital foi um amigo chamado Neimar. Então, ele fez a promessa de que homenagearia esse homem quando tivesse um filho“, completa Rodrigues.
De acordo com dados do IBGE, entre 1940 e 2010, nasceram no Brasil 3.552 pessoas chamadas Neimar e mais 454 Neymares. O instituto não possui informações mais recentes, ou seja, que reflitam o sucesso do Neymar mais famoso de todos os tempos.

Do UOL esporte para o site alerta acre.

COLUNISTAS