Cristãos de Rio Branco saem em apoio da Família Tradicional - Alerta Acre

Alerta Acre

O seu Portal de Notícias

Ultimas

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Cristãos de Rio Branco saem em apoio da Família Tradicional


Fernando Lage com o coronel Ulysses Araújo

A Associação de Ministros Evangélicos do Acre – AMEACRE, apresentou anteprojeto à Câmara de Vereadores de Rio Branco inserindo no ordenamento jurídico do Município o Estatuto da Família, para efeito de estabelecer diretrizes de políticas públicas no escopo da valorização e apoio à entidade familiar.

Na justificação do relevantíssimo anteprojeto, enfatizaram os autores da importante proposta legislativa: “a família é considerada o primeiro grupo humano organizado num sistema social, funcionando como uma espécie de unidade base da sociedade”. Ressaltaram que a família tem a proteção do Estado, conforme previsão constitucional do art. 226 da Magna Carta, para o qual remetemos os leitores interessados em se aprofundarem mais no assunto.

O anteprojeto teve tramitação normal, segundo o seu relator, vereador Roberto Duarte, recebendo parecer favorável da Comissão Constituição, Justiça e Redação Final e Comissão de Direitos Humanos, Cidadania, Criança, Adolescente e Juventude, tornando-se o projeto de Lei número 03/2018, que logrou aprovação em Plenário, recebendo votos em contrário apenas de 03 (três) vereadores de partidos comunistas.
A irresignação maior dos que se opuseram ao importantíssimo projeto (no escopo de agradarem à comunidade LGBT), se deu em decorrência da dicção do art. 2º, assim redigido: “Para os fins desta Lei, reconhece-se como família, base da sociedade, credora de especial proteção, em conformidade com o art. 226 da Constituição Federal, a entidade familiar formada a partir da união de um homem e de uma mulher, por meio do casamento ou de união estável, e a comunidade formada por qualquer dos pais e seu filhos”.
Aqui se faz uma retrospectiva Histórica para se entender à causa da revolta dos que não concordaram com o Estatuto da Família apoiado pela maioria qualificada dos vereadores de Rio Branco (Trata-se de uma Lei Complementar que exige um quórum especial). O ódio à família tradicional remonta ao século XIX, sobretudo depois das edições do Manifesto Comunista (1848) e do livro de Engels, “Origem da Família, do Estado e da Propriedade Privada (1884).
O ataque à família tradicional não é obra do aparecimento do feminismo e dos movimentos contraculturais nos anos 60 do século XX. Os fundadores do marxismo, Karl Marx (1818-1883), e Friedrich Engels (1820-1895), são os dois nomes que mais influência tiveram no sentido de inocular na sociedade internacional o ódio à família , como forma de promover a sua desorganização para se atingir o comunismo ateu (revolucionário).
Não é nosso propósito aqui explicar o que é Marxismo Cultural. Mesmo porque, quem tiver curiosidade para se aprofundar no assunto, encontra na WEB farto material sobre à questão. O escritor Olavo de Carvalho tem sido um dos intelectuais que mais tem falado sobre esse importantíssimo tema. Não se pode deixar de considerar as aulas do Padre


Paulo Ricardo de Azevedo sobre o Marxismo Cultural e sua influência deletéria sobre a família tradicional. Enfim, quem hoje tenta ( e tem tido sucesso) no sentido de destruir a família é o referido Marxismo Cultural criado pelo filósofo italiano Antônio Gramsci. Eis porque, os que se opõem ao projeto acima dos líderes religiosos, são exatamente os que professam o marxismo cultural.
O Partido Social Liberal (PSL), por seu vereador N. Lima, votou pela aprovação do projeto de iniciativa dos líderes cristãos. Nosso partido acredita numa sociedade conservadora nos costumes - e por isso defende a família tradicional - porque as mudanças violentas (revolucionárias) sempre causaram grandes tragédias na Humanidade, e Liberal no que diz respeito à economia, posto que, sem liberdade econômica também não existe liberdade política, para que se possa promover o progresso espiritual.
Nós, do Partido Social Liberal (PSL), estamos seguros de que o importante projeto de Lei Complementar de iniciativa dos líderes religiosos será sancionado pelo Executivo Municipal, em primeiro lugar por ser constitucional, e em segundo lugar porque contribuirá para a elevação espiritual do nosso povo.
O Brasil acima de tudo! Deus acima de todos!
Coronel Ulysses Araújo – pré candidato ao governo do Acre/PSL
Fernando Lage – Pré candidato ao Senado/PSL
  Valdir Perazzo - advogado

Post Bottom Ad