Em 24 h, tentativa de fuga de presos e assassinatos deixam ao menos 32 mortos no Pará - Alerta Acre

Alerta Acre

O seu Portal de Notícias

Ultimas

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Em 24 h, tentativa de fuga de presos e assassinatos deixam ao menos 32 mortos no Pará


Pelo menos 31 pessoas foram mortas em Belém nas últimas 24 horas. Nesta terça-feira (10), ao menos 21 pessoas morreram e outras cinco ficaram feridas após uma tentativa de fuga em massa de presos do CRP III (Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III), no Complexo Prisional de Santa Izabel, localizado na região metropolitana da capital paraense.
Horas antes, na tarde de segunda (9), 11 pessoas foram assassinadas na região metropolitana de Belém, segundo a nota divulgada pela Segup (Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social). Os assassinatos de ontem foram registrados após a morte de dois policiais militares --um na noite de domingo (8) e outro na manhã de segunda.



A Segup, no entanto, não confirma nenhuma relação entre os eventos.
No centro penitenciário, segundo a Secretaria, houve uma tentativa de resgate de detentos por um grupo externo "fortemente armado", que utilizou explosivos contra um dos muros da penitenciária. A ação ocorreu por volta das 13h. Houve troca de tiros entre o grupo que efetuava a tentativa de resgate, parte dos detentos e a equipe do batalhão penitenciário.
Ainda de acordo com a Secretaria, um dos mortos é agente penitenciário. Ele foi identificado como Guardiano Santana, de 57 anos. São também agentes os cinco feridos --um deles está em estado grave e deve ser submetido a cirurgia no Hospital Metropolitano, em Ananindeua, região metropolitana de Belém. Outros dois feridos estão no mesmo hospital e um outro agente está em um hospital particular. O estado de saúde deles é considerado estável. O último agente foi atendido na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Castanhal e já foi liberado.
Os outros 20 são presos e integrantes do grupo de resgate. A identificação e contagem --que está sendo realizada neste momento, por volta das 21h-- poderá identificar quantos eram custodiados do sistema penal e quantos pertenciam ao grupo criminoso que tentou realizar o resgate.
"Se a guarda externa não estivesse muito atenta, nós poderíamos ter tido uma fuga em massa de presos, não fosse a resposta da Polícia Militar", afirmou o o secretário adjunto de gestão operacional, coronel André Cunha.

Com informações de UOL São Paulo 

Post Bottom Ad